Estatísticas e curiosidades Vamos em Sinais

28/09/2009 por Diego

Antes do final do projeto decidimos realizar uma última aventura/loucura.
Passamos o segundo dia em Belo Horizonte tentando conseguir uma empresa de ônibus que pudesse levar as três bicicletas duplas até Campo Grande – MS. Infelizmente não tivemos uma resposta positiva. Decidimos ficar mais um dia em BH e ir ao congresso do dia do Surdo, todos juntos.

Raquel e Tobias foram com Antônio Campos de Abreu e Klêber Borges até o hospital ISOMG para comemorarem o dia do surdo com os funcionários surdos e a querida intérprete Veronika. Houve homenagem à equipe surda, mini-workshop do Vamos em Sinais, Quiz etc.

Enquanto isso Sebastian saiu para tirar fotos e pesquisar como poderiamos sair da cidade de caminhão. Quando nos encontramos as 19h ele nos disse que fez amizade com um caminhoneiro que poderia nos levar até um posto na estrada onde muitos caminhões param para dormir, mas precisávamos ser muito rápidos para organizar tudo. Corremos e conseguimos por carregar este caminhão com as bicicletas. O Diego foi na frente do caminhão e os outros 5 integrantes foram na traseira, debaixo da lona azul, escondidos da polícia. rs rs..

O caminhão partiu em direção a rodovia BR 262 que segue até Campo Grande onde seria possível conseguir uma carona de caminhão mais facilmente. Na primeira avenida que pegamos, um ônibus fechou o caminhão e arranhou a lataria. Na traseira do caminhão percebemos a batida e ficamos preocupados. Ai, ai, ai… lá vamos nós para a delegacia fazer o Boletim de Ocorrência (com a galera escondida debaixo da lona…)

Chegando próximo a delegacia o caminhão fez uma parada rápida e todos saltaram e depois caminharam até lá. O B.O. demorou bastante e saímos de lá depois das 1h00 da madrugada. Algumas quadras depois da delegacia a galera voltou para a traseira do caminhão rs rs.. Dessa vez chegamos ao posto de gasolina da BR 262 sem paradas.

O posto era escuro e meio feio, decidimos não dormir lá. Pensamos em ir até o Shopping Del Rey, a beira da estrada para ver o que conseguiríamos. Andamos uns 500 metros e uma viatura da polícia militar parou para nos perguntar para onde estávamos indo. Explicamos que estavamos procurando um local para dormir e eles nos ofereceram para dormir no quartel da PM a 1Km dalí. Ufá. Finalmente conseguiríamos dormir tranquilamente mas teríamos que deixar o local pelas 7h da manhã.

As 4h da manhã um dos policiais acordou o Diego para mostrar onde havia um banheiro com chuveiro para que pudessemos tomar um banho… (coitado do Diego)… As 6h nos acordaram pedindo que saíssemos as 6h20. Arrumamos tudo e partimos de lá em direção ao Shopping onde poderíamos pegar um ônibus para ir ao Encontro do Dia do Surdo.

Foi aí que o grupo decidiu ir até outro posto de gasolina na estrada para tentar a carona de caminhão e desistiram de ir ao encontro do Dia do surdo. Os brasileiros, Raquel e Diego ainda iriam para o encontro e por isso decidiram dizer Tchau alí mesmo. A emoção da despedida foi muito grande. E o coração ficou muito apertado.

Depois que os alemães foram embora para a rodovia com as bicicletas, pegamos um ônibus para o centro de BH mas perdemos a vontade de ir ao encontro do Dia do Surdo por causa de tamanha tristeza. Por isso compramos uma passagem de volta a São Paulo para as 14h.

Estamos agora mesmo em uma lan house aguardando a hora de voltar para casa.

Desejamos a todos um feliz Dia dos Surdos, continuamos na luta.

de volta